Com duração de 20 horas, começou na noite de ontem, 19, e segue até sexta-feira, 23, no Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) um curso de e-Social, o novo sistema de informações do governo brasileiro, no tocante ao trabalhador, que entra em operação em julho próximo. O curso, do qual participam 20 funcionários de empresas filiadas à ACIM – Associação Comercial e Industrial de Marabá – é uma parceria da entidade com a instituição de capacitação do comércio, que visa deixar as empresas atualizadas a fim de que não tenham problemas quando o sistema entrar em operação.

Ministrado pelo professor Moisés Moreira, bacharel em Ciências Contábeis, Fiscalização, Controladoria e Auditoria, o curso pretende, no início, mostrar toda a parte teórica do sistema e o Manual do e-Social.

“O manual é muito importante. Se eu tenho um sistema preparado para poder interligar a minha empresa com o e-Social, mas se não entender o que manual está solicitando, não vou poder corrigir ou solicitar para o suporte a inconformidade que o sistema está gerando”, enfatiza Moisés.

Para ele, outro ponto também, para o qual as pessoas devem atentar bastante, são os eventos, periódicos e não periódicos: “Vamos estudar de um por um até porque temos de entender a sequência lógica do evento. E vamos mostrar também os prazos e as subfases em que está divido o e-Social, complementando com um sistema modelo, uma simulação de envio de informações”, detalhou ele.

Moisés Moreira, facilitador do curso e-Social, promovido pelo SENAC em regime de colaboração técnica com ACIM.

Débora Coelho, diretora do Senac em Marabá, salientou que esse é terceiro curso de e-Social ministrado pela instituição em Marabá. “Os dois primeiros foram para instituições variadas aberto à população”, disse, acrescentado que já há uma lista de espera, com mais pessoas querendo se capacitar.

Ela afirma que em todo o País é grande a procura pelo curso de e-Social e o prazo para a entrada do sistema encurtando. “Algumas empresas enviam mais de dois funcionários, pois a necessidade de capacitá-los para operar o sistema é muito grande. A gente fica feliz de saber que as empresas estão investindo nisso”, diz.

A diretora do Senac observa que, em Redenção, onde a instituição tem uma base, já são mais de 24 empresas à procura do curso. “E nós estamos aqui para isso”, conclui.

Por ASCOM/ ACIM.

COMPARTILHE NAS SUAS REDES: