A representatividade feminina vem aumentando no mercado empreendedor, onde as mulheres também vêm inovando e enfrentando desafios. Na mesma dose, elas colaboram para o crescimento do País, ao investirem na educação das famílias. Com toda essa potência, os números do empreendedorismo feminino impressionam pela velocidade com que crescem.

E essa transformação não vem acontecendo somente no Brasil, mas no mundo todo, como mostram estudos do Banco Mundial. De acordo com relatórios baseados em observações dos últimos cinco anos, aproximadamente 200 milhões de empresas foram abertas por mulheres em 83 países desde 2012.

No Brasil, segundo dados do Dieese, 8 milhões de mulheres são chefes de família e estão à frente do próprio negócio, um aumento de 25% em relação à década passada. E mais: 71,5 % delas estão no ramo de comércio e serviços.

“A taxa de empreendimentos iniciados no país, desde 2007, oscila entre 47% e 54% para homens e mulheres. Em 2016, a taxa foi de 48,5% para homens e 51,5 % para mulheres”, afirma a especialista em empreendedorismo Hilka Machado, professora da Universidade do Oeste de Santa Catarina. Logo, as mulheres empreendedoras têm muito a comemorar no mês delas

Mulheres da ACIM

Associada da ACIM, Raquel de Oliveira Miranda, casada, dois filhos, empresária do ramo de Informática, diz que o Dia da Mulher, que transcorreu nesta quinta-feira (8), é uma data que merece ser celebrada: “Somos mulheres de fibra, bênçãos de Deus. Sempre lidando com a independência e a intimidação, sorrimos e choramos, seguimos em frente com nossos ideais e conquistas”, destaca ela.

Raquel lembra que, além de empresárias, mulheres como ela são também donas de casa, mães, psicólogas do lar e esposas. Possuem sentimentos explosivos que afloram à pele e as tornam “únicas e fortes para enfrentarem os obstáculos da vida”.

“Nos sobra, ainda, tempo para realizarmos mais algumas tarefas. Todas somos esses seres dignos e merecedor de ter uma data especial. Somos, todas nós, mulheres. Parabéns para todas nós”, comemora.

Para Sueli Pianho, também associada da ACIM, empresária do ramo de Seguros, divorciada, um filho, o Dia Internacional da Mulher é data para celebrar o papel participativo e vital conquistado por mulheres corajosas.

“No passado, elas entenderam que, além da doçura, da fragilidade física aparente, eram capazes para a vida profissional e política. Hoje temos um papel importantíssimo na construção de um mundo melhor para esta e futuras gerações”, afirma Sueli.

Também associada da ACIM, Kessiana Soares, do ramo de restaurante e entretenimento, casada, mãe de três filhos, diz a hora é de parabenizar a todas as mulheres fortes, que lutam diariamente pelos seus direitos e que, além de cuidar dos filhos e da casa, ainda saem para trabalhar fora “e estão conseguindo ter o seu lugar e o seu papel reconhecido pela sociedade”.

Nilde Alves, casada, dois filhos, colaboradora da ACIM, almeja que as mulheres não sejam lembradas apenas em um dia do ano, mas nos 365 dias. “Que não sejamos festejadas por convenção, mas, pelo nosso valor, nossa força, nosso coração. Que sejamos respeitadas sempre com carinho e todos os dias com amor”.

Por ASCOM/ ACIM

COMPARTILHE NAS SUAS REDES: